sexta-feira, 8 de maio de 2009



Les Paul Em 1939, um guitarrista chamado Lester William Polfus, conhecido popularmente por Les Paul, contruiu um protótipo de guitarra. Quando ele levou este protótipo à Gibson no começo da década de 40, como muitos outros inventores de sua época, foi ridicularizado, chamado de algo como "o garoto com o pedaço de madeira com captadores". Porém, por volta de 10 anos depois, no começo dos anos 50, quando a Fender começou a produzir em massa guitarras de corpo sólido (que até então não existiam, as guitarra eram acústicas ou semi-acústicas), a Broadcaster desenhada por Leo Fender, a história mudou. A Gibson entrou em contato com Les Paul, e em 1952 começou a produzir a guitarra desenhada por ele e ridicularizada pela Gibson 10 anos atrás. Essas primeiras guitarras tinham a pintura em dourado e por isso eram chamadas de Gibson Les Paul GOLD TOP. Aí então, a mais famosa, popularmente conhecida e de melhor qualidade é a Les Paul produzida pela Gibson. Existem outros fabricantes como a Epiphone, pertencente à própria Gibson, que no caso da Les Paul produz instrumentos de custo mais baixo. Como a Epiphone temos Les Pauls Ibanez, GTX, Encore, Gianini, Finch, etc... Aqui vamos falar sobre a Les Paul da Gibson e algumas produzidas por Lutiers, relacionadas ao Slash. É uma guitarra bastante luxuosa em termos de detalhes e de construção rebuscada, é mais luxuosa do que outro mito da guitarra a Fender Stratocaster, o que de forma nenhuma desmerece esta outra pois é um outro instrumento, e que tem seu som particular, sua alma. Existem vários modelos de Les Paul da Gibson, a Les Paul Custom, a Standard, a De Luxe, a Classic, a Studio, a Lite, a Junior, e também as guitarras de assinatura, como a Les Paul Slash, a Joe Perry, a Gary Moore, etc. Existem também as Custom Shop, que são guitarras especiais produzidas conforme o gosto do comprador e as Historic Collection que são guitarras produzidas no molde de guitarras antigas como as Les Pauls Standard de 1959, que são as Les Pauls mais valorizadas do mundo que chegam a ser vendidas por mais de US$ 100.000,00. O Slash possui umas 3 Les Pauls Standard de 1959 (aliás, uma delas é 1958, o que não faz muita diferença, pois as guitarras mais valorizadas são as produzidas no período que vai de 1958 a 1960) em sua coleção, sendo que uma delas, com acabamento em Tobaco sunburst (aparece no clipe de November Rain), pertenceu ao Joe Perry do Aerosmith(Slash a devolveu a Joe Perry em seu aniversário de 50 anos)Para simplificar e tornar mais objetivo o texto, vou me ater aos 2 modelos principais que são básicos, a Les Paul Custom e a Standard. Estes dois intrumentos se diferenciam por detalhes de acabamento e de construção. As Les Pauls mais usadas, mais famosas, o que inclui estes dois modelos, tem o corpo feito com a parte de trás em mogno e o tampo, a parte da frente em maple. O braço é feito de mogno também. A Custom tem mais detalhes de acabamento, é uma guitarra mais luxuosa. Com relação à construção, usa a escala do braço em Ébano, tem um som tendendo mais para o grave enquanto a Les Paul Standard com escala do braço em Rosewood ( nosso Jacarandá ) tem um som mais "rasgado" com mais agudo. Apesar de ser um som encorpado, mais grave do que o de uma stratocaster, ele tem "ataque" no agudo também (ouça o timbre de guitarra usado em Reckless Life, tanto no riff da base como no solo, que você entenderá o que eu digo). Justamente a Les Paul Standard é a guitarra sinônimo de Slash, apesar de ele usar outros modelos de Les Pauls também, e mesmo outros modelos de guitarra. É um instrumento que tem um som potente, com muito "sustain"(você dá a nota ou acorde e ele demora a parar de soar, o som demora para "morrer"). Você pode perceber como ele usa o sustain das guitarras principalmente nos shows, onde ele toca uma nota e dá o efeito de "vibrato" com os dedos onde a guitarra fica soando, parando somente quando ele quer. Evidentemente naquela hora não é somente a guitarra, mas todo o equipamento que produz o som, mas uma das características da Les Paul é essa, o sustain. Ao mesmo tempo que a guitarra tem um som forte e rasgado, ela também pode produzir um som "aveludado", usando-se o captador localizado próximo ao braço, que você pode conferir na introdução de Sweet Child O´Mine, nos solos de Rocket Queem e November Rain. Outra característica do som da Les Paul é a produçâo de um som meio "nasal", muito legal e muito usado pelo Slash também. Você pode conferir isto nos solos de Welcome to the Jungle e Reckless Life. Se você quiser realmente ouvir e entender a Les Paul do Slash, sugiro que você assista a shows. Eu particularmente prefiro o som que ele usava antes do Use Your Illusion, que era um som mais limpo, menos distorcido, onde aparecia mais o timbre da guitarra. Eu recomendo o show do Ritz de 1988, do disco Apetite for Destruction. Ele toca nesse show com a Sweet Child O´Mine´s Les Paul, uma Les Paul que não é da Gibson (apesar de ter o nome Gibson em seu headstock), mas uma cópia da Gibson Les Paul de 1959 produzida por um lutier chamado Chris Derrig de Los Angeles, em 1986. Que ironia, a guitarra que protagonizou a "volta" da até então "meio esquecida" Gibson Les Paul ao cenário musical, e me fez apaixonar por Les Paul, não era uma Les Paul Gibson original, era uma cópia. Mas basta ouvir o seu som e também a sua incrível beleza para se apaixonar também. Apesar de não ser uma Gibson original, é uma guitarra de qualidade muito grande, feita à mão por alguém que conhecia muito de Les Pauls antigas, até por isso, mesmo que não pertencesse ao Slash, custaria muito mais que uma Les Paul Gibson original de linha. Acredito que a encomenda de uma guitarra desta não sai por menos de US$10.000,00. Ela usa captadores Seymour Duncan Alnico II "zebra" assim chamado porque é um captador duplo com um polo branco e o outro preto. Infelizmente ele não a usa mais em shows. Hoje ela fica na coleção particular dele de aproximadamente 50 guitarras, e só sai de lá se for para o estúdio. Numa entrevista ele diz que usava esta guitarra em shows somente no começo, na época em que ele não tinha outras guitarras. Evidentemente, os instrumentos que saem para uma turnê sofrem muito desgaste e estão sujeitos a acidentes. Bom, falei um pouco da história da guitarra. Opa, estava quase me esquecendo... não posso deixar de mencionar o amplificador Marshall onde a Les Paul está plugada, que evidentemente participa na construção do som. É um amplificador que também tem um som muito particular e faz parte desta combinação. Espero que minhas palavras tenham trazido algo de bom, talvez esclarecido alguma dúvida. Valeu!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Loading...